Matemática: Lixo - Separação = Alimentos + caros

Boa notícia! O Brasil esta produzindo mais alimentos, compras de adubos e fertilizantes aumentaram 262,4%. Má notícia! Em um país com inflação em torno de 4%, o preço dos fertilizantes teve acréscimos superiores a100%.

A dependência das importações no setor de fertilizantes do Brasil é alta, pois, enquanto o volume de fertilizantes entregue ao consumidor final (agricultor) foi de 24,6 milhões de toneladas em 2007, a produção nacional foi de apenas 9,8 milhões de toneladas. O movimento de alta de preços dos fertilizantes reflete o fato de o mercado internacional desses produtos também estar aquecido a ponto de provocar escassez.

Os impactos da alta dos preços de fertilizantes na rentabilidade da agricultura são expressivos, em razão da participação desses itens nos custos de produção, ou seja, aumento no preço dos fertilizantes é diretamente proporcional ao aumento do preço dos alimentos.

Concomitantemente com a escassez dos fertilizantes, diariamente milhões de toneladas de lixo são aterrados por todo país. Além dos gastos para realizar o controle sanitário deste lixo, existe um grande desperdício de matéria orgânica e de produtos passíveis de reciclagem. Esta matéria orgânica, após passar por um processo simples de compostagem, poderia estar retornando para os solos agrícolas e minimizar os gastos com fertilizantes. Deste modo, além de obtermos alimentos mais baratos evitaríamos a destruição da natureza.

Francisco B. de Paola

Engenheiro Ambiental CREA 81594/D