Eco-eficiência empresarial

O conceito de “eco-eficiência empresarial” pode ser definido como a busca do equilíbrio entre os ganhos ambientais e econômicos. Para que uma empresa seja eco-eficiente, deve estar bem informada sobre o ambiente em que opera, principalmente quanto à sua capacidade de suporte e à resiliência. Estes termos significam, respectivamente, o quanto de recursos que pode ser extraído sem comprometer sua disponibilidade no futuro, e a capacidade do ambiente de se recuperar de um impacto sofrido.

Embora estes dois conceitos estejam fortemente associados à preservação ambiental, é importante distingui-los para evitar erros e garantir maiores ganhos ambientais. A natureza é como um lutador de boxe: pode tomar muitos socos, cair e se levantar. Porém, se for atingido por um soco forte, vai a knock-out, pois não consegue se recuperar do impacto. Uma floresta, por exemplo, pode apresentar altíssima taxa de regeneração e, portanto, elevada capacidade de suporte. Mas, ao mesmo tempo, pode possuir baixa resiliência, não sendo capaz de se recuperar de um evento impactante, como uma enchente ou um incêndio.

Como lidar com o meio ambiente

Mesmo considerando que os impactos possam ter intensidades variáveis, dois sistemas podem responder de forma completamente diferente a um mesmo evento: enquanto um se recupera rapidamente (alta resiliência), o outro talvez nunca retorne ao seu estado inicial (baixa resiliência). A capacidade de suporte informa o quanto de recursos que pode ser extraído e a resiliência implica todo o cuidado necessário durante a extração e a disposição de rejeitos no processo de produção. A empresa que não respeita a Eco-eficiência empresarial capacidade de suporte e a resiliência do ambiente em que atua corre um risco mortal: o uso excessivo de recursos naturais, somado à poluição desmedida, rompe o equilíbrio entre a qualidade ambiental e o desenvolvimento econômico. A empresa sofrerá escassez de recursos ou privação de serviços prestados pela natureza.

Além da incorporação dos conceitos de resiliência e de capacidade de suporte, a literatura aponta os seguintes princípios para a eco-eficiência empresarial:

- Redução dos gastos de materiais e de energia com bens e serviços;

- Redução da emissão de substâncias tóxicas;

- Intensificação da reciclagem de materiais;

- Maximização do uso sustentável de recursos renováveis;

- Prolongamento da durabilidade dos produtos;

- Agregação de valor aos bens e serviços.

Ao observar estes princípios, percebe-se que o atendimento à legislação, embora importante, não garante que a empresa deixe em dia suas obrigações com o meio ambiente; o cumprimento das leis ambientais é apenas o primeiro passo.

À medida que a empresa caminhar rumo à eco-eficiência, estará garantindo maiores benefícios econômicos e contribuindo para a disponibilidade futura dos recursos e serviços ambientais.

Francisco B. de Paola

Engenheiro Ambiental CREA 81594/D